Chapada dos Guimarães



Freqüentemente, a entrada do parque é fechada por conta de queimadas. Nesse caso, o visitante pode apreciar a imensidão de morros em mirantes fora do parque e desfrutar de banho de cachoeira em uma propriedade particular próxima. Desde abril de 2008, o acesso até a cachoeira Véu de Noiva está fechado, pois estão construindo um reforço das encostas da cachoeira para prevenir acidentes.

Dentro do parque
Véu de Noiva – A cachoeira mais famosa do parque tem 86 metros de altura e é um dos cartões-postais da Chapada. Acesso foi fechado por conta de um acidente.

Circuito das cachoeiras – Uma seqüência de sete quedas, a primeira delas conhecida como cachoeira do Pulo, boa para banho.

Cidade de Pedra – As formas esculpidas pelo vento e pela erosão lembram ruínas de uma cidade. Acesso pela estrada para Água Fria (14 km de estrada de terra e areia).

Casa de Pedra – Caverna de arenito formada pelo rio Sete de Setembro onde é possível conhecer um pouco da história geológica da região. O acesso é feito por uma trilha de 12 km. Localizada no lado oposto da cidade de pedra.

Morro de São Jerônimo – Com quase 900 metros de altitude, é o ponto mais alto da Chapada dos Guimarães. Para chegar até o topo, é necessário fazer uma caminhada de 12 km, que deve ser acompanhada por um guia.

Caminho das Águas – Cachoeiras em seqüência dão nome ao roteiro que passa por sete delas.

Caverna Aroe-Jari e Gruta da Lagoa Azul – Também conhecida como Caverna do Francês, a gruta é considerada a maior do Brasil, com 1.550 metros de extensão. O local pode ser visitado apenas com o acompanhamento de um guia. A trilha até a caverna tem 2,5 km de extensão. A partir da caverna, mais trinta minutos de caminhada, você chega à Gruta da Lagoa Azul, onde o banho não é permitido. Acesso pela MT-251, sentido Campo Verde.

Fora do parque


Complexo turístico da Salgadeira – Área com lanchonetes, restaurantes e duas cachoeiras para banho, no km 43 da MT-251, no caminho para a cidade de Chapada dos Guiamarães. Costuma ficar cheio aos finais de semana.

Portão do Inferno – No caminho para a entrada do parque, após passar o complexo turístico da Salgadeira, o local tem mirante com uma das melhores vistas da chapada. Há estrutura de lanchonete no local.

Mirante da Chapada – Conhecido como Centro Geodésico da América do Sul, por ficar a 1.600 km do oceano Pacífico e do Atlântico, o mirante permite avistar boa parte da chapada, a cidade de Cuiabá e o vale do rio Cuiabá. Dá para passar o dia inteiro por lá, admirando as diferentes fases do sol. A 8 km da cidade de Chapada dos Guimarães pela MT-251.

Cachoeirinha e Cachoeira dos Namorados – A poucos minutos da entrada principal do parque, em direção à cidade de Chapada dos Guimarães, uma cachoeira de 15 metros de altura que lembra uma pequena praia e outra cuja piscina natural tem formato de coração. Ambas ficam dentro de uma propriedade particular. É opção quando o parque nacional está fechado. Entrada paga.

Igreja de Nossa Senhora de Santana – Tombada pelo patrimônio histórico, é a construção mais antiga da cidade de Chapada dos Guimarães. Construída no ano de 1779, conserva as imagens de Santa Ana do Santíssimo Sacramento, Santo Inácio de Loyola e São Francisco Xavier. Praça Don Wunibaldo, a principal da cidade, no centro.

Comentários