Porto Belo


Porto Belo

Por tudo isso, esta cidadezinha colonizada por açorianos há mais de 250 anos, faz parte da Rota do Sol de Santa Catarina e tornou-se ponto de parada para boa parte dos cruzeiros que navegam na costa brasileira no verão.

Vizinha à famosa Bombinhas, da qual fazia parte até 1992, quando emancipou-se, Porto Belo está a 60 quilômetros de Florianópolis e integra o roteiro turístico do litoral catarinense formado por Camboriú, Itapema, Galheta, Bombas e Bombinhas. Portanto, na alta temporada e nos feriados, é preciso se preparar para enfrentar os congestionamentos na BR 101, que leva à região tanto quem vem pelo Paraná quanto pelo Rio Grande do Sul. Entretanto, essa é a melhor época para curtir a cidade. Ao caírem as temperaturas no outono, muitos estabelecimentos fecham, até a chegada da próxima primavera.

As praias mais frequentadas são Perequê, Porto Belo e Araçá, todas com águas mansas. Perequê é a maior delas, com grande faixa de areia e mar aberto, própria para estender as cadeiras e relaxar, enquanto as crianças jogam bola ou procuram conchinhas. Se sair para caminhar bem cedo, é possível observar o balé das andorinhas, em seus vôos rasantes e pousos ousados para disputar os pedaços de peixes que os pescadores jogam na orla. Ao longo do dia, os parapentes cruzam os céus, vindos de Itapema.

Da praia de Porto Belo, do Trapiche dos Pescadores, partem os barcos pesqueiros, catamarãs e escunas para os passeios marítimos na região. São diversos roteiros, com várias durações, que oferecem desde um simples banho de mar até mergulhos com equipamentos e pesca esportiva.

É nesta praia que também chegam os gigantes transatlânticos que levam à cidade milhares de turistas brasileiros e estrangeiros todo verão.

Um dos melhores passeios é a visita à Ilha de Porto Belo. O local oferece infra-estrutura completa para entreter os visitantes como serviços de mergulho com snorkel, aluguel de caiaques e jet skis, além de tirolesa e passeios de banana boat.
Porto Belo (2)
Há restaurantes, banheiros, duchas, guarda-volumes, ambulatório, loja de suvenires e aluguel de cadeiras para quem quiser passar o tempo na praia. O ponto alto da ilha é a trilha ecológica da Pedra da Cruz, que inclui um mirante com vista para o mar aberto e a referida pedra, com inscrições feitas há quatro mil anos. É aberta à visitação de setembro ao feriado da Páscoa.

É preciso ter um espírito um meio aventureiro para visitar a praia do Estaleiro. É preciso pegar a estreita estrada do Araçá, passar pela vila do mesmo nome e pelo Caixa d?Aço. São cerca de sete quilômetros, com trechos asfaltados e de terra. Ao final, há uma pequena praça onde é possível estacionar. Para descer até a praia, há uma trilha íngreme, de cerca de 150 metros. A praia não tem nenhuma infra-estrutura, portanto, é recomendável levar pelo menos garrafinhas de água para se hidratar.
Porto Belo (6)
Uma boa alternativa é percorrer a trilha do Centro de Reprodução de Plantas Fritz Muller, mais conservada, até as pedras gigantes onde é possível sentar e apreciar a vista marítima, os turistas que chegam de barcos para mergulhar no local ou as lanchas e veleiros que passam ao longe.

O roteiro gastronômico é diversificado, mas vale destacar três bares pitorescos: Maresia, Balanço do Mar e Caixa d?Aço. São bares flutuantes, em pleno mar, situados entre as praias do Araçá e Caixa d?Aço. Barcos de pescadores levam e trazem os clientes. Outros chegam com as suas próprias lanchas ou seus iates. Dependendo da ocasião, os visitantes são recebidos com música ao vivo no Maresia.
Porto Belo (4)
Estes bares ficam ?meio escondidos? num local que já foi estratégico na história de Porto Belo. Conta-se que a esquadra do almirante português Robert MacDouall, em 1777, refugiou-se naquela enseada para evitar um combate com a esquadra espanhola de Pedro de Cevallos Cortéz y Calderíon, formada por 116 embarcações. Os espanhóis acabaram seguindo para a então Ilha de Santa Catarina e o almirante português batizou o local de Caixa D?Aço, pela sua segurança.
Porto Belo (3)
Porto Belo tem a pesca e o turismo como principais atividades econômicas. No centro da cidade se concentram lojinhas de artesanato, de decoração e de roupas. São poucas opções, mas é possível garimpar produtos de bom gosto na maioria delas.

Comentários